17 março 2011

Ai de nós...

Infelizmente ando ouvindo muita besteira pseudo-espiritual no meio cristão em relação as tragédias que estão ocorrendo no Japão. Afirmam que essa nação está recebendo um juízo Divino devido a sua prática religiosa ser majoritariamente budista / xintoísta. O que esses "cristãos" tem que lembrar é que não somos melhores que os japoneses em nada, por que todos não passamos de seres humanos.
Se o juízo de Deus cai em uma nação que declara abertamente não ser maioria cristã, o que então o Brasil merece? Ai de nós! Ai de nós, um país que se declara maioria cristã mas com práticas tão vergonhosas! Tomamos o nome de Deus em vão, aviltamos o Evangelho, seguimos nossas vidinhas e "seja o que Deus quiser desde que Ele queira o mesmo que eu".
Não sofremos coisa pior não porque somos melhores, mas por única e exclusiva graça de Deus! Que maioria cristã é essa que ostenta práticas tão baixas que em países como o "Japão-ímpio" seria motivo de suicídio por tamanha vergonha? O Brasil não tem VERGONHA, coisa que uma "nação ímpia" TEM !!!!!!!
Que cristianismo é esse que estamos vivendo, observando a tragédia dos outros e murmurando consigo orgulhoso "Também! ficam adorando os mortos, só podia acontecer isso mesmo..." Não somos melhores que eles não, se nosso coração não fica esmagado e sangrando frente a essas tragédias, se não temos compaixão, não somos melhores, somos piores porque negamos a fé! Somos piores porque conhecemos a Verdade e mesmo assim nos sentimos privilegiados pelo que SOMOS individualmente e não pelo que Jesus FEZ por TODOS OS SERES HUMANOS.
Todo esse cenário mundial tem sim, um contexto espiritual. Tudo isso sim, são sinais. Mas não somos mais ou menos merecedores. Não apontemos o dedo para a dor dos outros, quando temos uma ferida podre aberta nas costas.
Eu creio que o Brasil não sofre (tanto) de catástrofes naturais, a nossa catástrofe é outro tipo de mal, é um mal alojado, um mal moral que semelhante a radiação, contamina e destrói, cujos efeitos se perpetuam sem que a maioria note. Temos realmente motivo para nos sentirmos tão "orgulhosos" do aparente "estar a salvo"? A salvo de que? Estamos a salvo mesmo? De "nós mesmos", creio que não!
Penso que não devamos ficar olhando somente os desastres físicos, as perdas físicas, não fiquemos orgulhosos e seguros por termos nossas coisas.. Fiquemos sim atentos a essa contaminação moral generalizada que reina no Brasil, que destrói o que os olhos não veem, que destrói aquilo que só quando está totalmente acabado, notamos.
Que possamos orar sinceramente pelo Japão, e que possamos orar sinceramente pela nossa nação, pelo nosso coração... que nosso alívio por estar longe de determinado mal físico não se transforme em orgulho e vaidade travestido de espiritualidade hipócrita e cruel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário