11 agosto 2011

Aishiteruze Baby

Owww yessss... terminei hoje de assistir aos 26 episódios de Aishiteruze Baby. Muito bem, por onde começo? O básico: Série animada produzida em 2004 pelo estúdio Tokyo Movie contando com a direção de Masaharu Okuwaki.. Baseado no mangá (com o mesmo nome) criado por Maki Youko. Importante e esclarecedor: o último volume do mangá (o sétimo) foi lançado somente em 2005..
Sinopse tosca: Katakura Kippei é um jovem estudante que em um belo dia, chegando da escola, se depara com uma criança de 5 anos em sua casa: trata-se de Sakashita Yuzuyu, sua prima (que até então ele não conhecia). Kippei, na reunião de família que estava acontecendo naquela hora (heheh), descobre também que Yuzuyu está em sua casa porque foi abandonada pela mãe (tia de Kippei). Então a família de Kippei ficou responsável por cuidar da menina até que a mãe de Yuzuyu seja encontrada. A irmã mais velha (e meio maluca hehe) de Kippei o torna o principal responsável pela menina... e é em cima disso que a história se desenvolve.
Não há grandes revelações nem aventuras... Procurando sangue, gritaria, guerras, tripas voando, sacanagens em geral? .... fique longe de Aishiteruze Baby... essa série trata do dia a dia de Kippei cuidado de Yuzuyu... o relacionamento dos dois... as situações engraçadas e os dramas.... É uma temática bastante simples mas interessante. Trata-se de um anime com a história bastante lenta cujo foco central é o desenvolvimento gradativo dos personagens e seus relacionamentos.
Os personagens são bastante convincentes.. Kippei é um ótimo personagem principal e conseguiram fazer de Yuzuyu uma criança bastante simpática e coerente: seus momentos de tristeza, alegria, birra, etc são justificáveis e a interação de todos os personagens, inclusive a dinâmica familiar é bastante adequada.
A animação é um pouco simples, mas não chega a ser ruim. As cores são fortes e em alguns momentos os traços são bastante marcantes.. há muita diversidade de cenários e tudo coopera para uma atmosfera muito viva e infantil (infantil no sentido de simplicidade e ingenuidade, e não bobice... heheheh).
Os temas delicados são abordados de maneira bastante competente e sensível na maior parte do tempo... 
Como eu disse lá em cima, o anime foi produzido antes do final do mangá.. então o final fica em aberto... Se eu tivesse visto somente o anime, ficaria deprimida, porque ele termina sem que a mãe de Yuzuyu voltasse...
Comparando anime e mangá, o primeiro é uma ótima adaptação. Uma pena que não aborde o final da série, ficaria muito bonitinho.
Minhas ressalvas são em relação ao mangá, pois a meu ver sobrou tema delicado e faltou tempo (ou vontade da autora) para trabalhá-los... pelo menos eu penso que o drama pessoal de Kokoro (namorada de Kippei) ficou um pouco negligenciado... até mesmo o relacionamento dos dois, no mangá, é bastante truncado e superficial... O relacionamento dos dois é mais convincente no anime.
Se não fosse para explorar e resolver o problema dela (conflito familiar), ou até mesmo explorar as semelhanças dela com a Yuzuyu, eu acho que nem precisava ter colocado ela na história... apesar de ser uma personagem bastante promissora (e eu gostar muito dela), parece que foi deixada de lado e não foi usada de maneira a enriquecer a série tanto quanto podia... uma pena...
Apesar das ressalvas, continuo achando Aishiteruze Baby um anime e mangá bastante interessantes, principalmente pelas temáticas e maneira como o enredo é conduzido. =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário