30 maio 2012

Hanasaku Iroha (anime)

Produzido por P. A. Works e dirigido por Masahiro Ando, o anime Hanasaku Iroha (também conhecido como Hanairo) conta com 26 episódios os quais foram transmitidos entre abril e setembro de 2011. A proposta é simples mas com grande potencial: conta a história da jovem de 16 anos, Ohana Matsumae, que sai de Tóquio para morar em uma cidade do interior com a avó, que por sua vez é gerente de uma pousada. O enredo se sustenta no ritmo de trabalho da pousada e a interação de Ohana com os demais funcionários.
Bem, eu confesso que fiquei um tanto decepcionada com a série. O traço e animação são bonitos e sua qualidade se mantém até o final, com paisagens e momentos muito detalhados e belos. Desenho e cores muito bonitos. Não há o que se queixar na qualidade técnica e gráfica da animação.
O problema está, em minha opinião, no desenvolvimento da história que deixa muito a desejar. Penso que 26 episódios é tempo suficiente para alguém com habilidade desenvolver os bons personagens que a série apresenta. O que vemos é uma sequência de alguns altos com muitos baixos.
Logo no começo gasta-se um tempo enorme com um drama tolo de um dos clientes "permanentes" da pousada (o tal escritor...). Foi feita uma sequência gigante para apresentar uma bobagem que não se sustenta ao longo da série, pareceu até feita sob medida para introduzir algumas cenas toscas de fan-service completamente desnecessárias. Foi um crime terem perdido tanto tempo em um personagem super coajuvante que não acrescentou nada ao desenvolvimento da história. Teria sido muito melhor terem usado esse tempo para explorar mais a personagem da avó (gerente da pousada) e sua interação com os filhos, já que isso era um dos pivôs do drama. Essa dedicação exagerada ao personagem do escritor (em detrimento a outros muito mais importantes que não tiveram o mesmo tratamento) foi um sinal claro da inabilidade do roteirista.  
A série possui vários personagens com potencial a ser explorados.. uma delas é a Minko Tsurugi, uma garota com a mesma idade de Ohana. Ela desde muito cedo decidiu se tornar uma chef de cozinha, e para isso trabalha como ajudante de cozinha na pousada. Acontece que ela tem uma personalidade bem difícil.. não sabe lidar com seus sentimentos românticos que possui em relação a um dos cozinheiros, se irrita e ataca qualquer um que a confronte, é calada e intransigente em relação ao trabalho.. e por ai vai. Tudo bem ser assim, mas quando não é trabalhado isso durante a série, o personagem fica um porre. Por que não explorar um pouco a história de vida dessa menina para tentarmos entender porque ela se relaciona dessa forma? Ficou por isso mesmo e no final das contas parece mais uma vaca brava que dá patada em qualquer um que se aproxima. Triste. Personagem com ótimo potencial mas sem tratamento adequado virou uma chata.
A chefe da cozinha e os outros dois cozinheiros também tiveram espaço bem fraquinho para suas histórias... A única que teve um capitulo decente foi a outra garçonete (lembram que a primeira garçonete é a Ohana né.. por isso falei "outra" hehe), chamada Nako Oshimizu. Ahhhhhhhhh ela sim teve um dos melhores tratamentos... a única personagem que a gente pode dizer que evoluiu ao longo da série, e o episódio dedicado a ela (o 18) foi simplesmente o melhor. Excelente!
A avó de Ohana, como já mencionei, foi pouquíssimo explorada. Realmente uma pena.
O filho dela (tio de Ohana e potencialmente o sucessor da administração da pousada) é um fiasco do começo ao fim. Personagem fraquíssimo... passa a metade da série quase sem aparecer, e quandoa parece aflora toda a sua bananice e falta de visão para negócios.
Há mais alguns personagens que pipocam aqui e ali, mas tem suas participações tão desconexas e superficiais que qualquer explicação ficaria mais densa do que realmente é...
Ahn.. e a personagem principal, a Ohana, ela é coerente. Irritantemente coerente, tem aquele tipo de personalidade chatinha, sabem? Barulhenta, que se mete na vida dos outros "em prol de um bem maior", entra em discussões tomando partido dos menos favorecidos, e clichês assim... mas ela não é má não. Apesar de achar um tipo bem cansativo, ela desempenha esse papel bem.
Também não gostei da trilha sonora... Frenética e paradoxalmente cansativa. Aberturas adequadas, mas não fazem juz ao conteúdo: muita correria para um desenvolvimento que nem de longe é uniforme. Dá para dizer que a série só engrenou de vez nos capítulos finais, onde todos estavam caminhando para um mesmo propósito: não fechar a pousada.
Spoiler a seguir.
Propósito esse frustrado pelo próprio filho da gerente: aquele bunda mole. Após ter levado a todos à exaustão de tanto trabalhar, porque ninguém queria deixar o emprego na pousada, depois da fase crítica ele fala "Eu decidi concordar com o fechamento da pousada". É para pegar um cara desses e empalar na entrada da cidade. Ainda diz que "não é definitivo" e usaria esse tempo para "estudar como se administra uma pousada". Meu Deus do céu!!!!!!!!!!!!!! O que é que esta ameba fez até agora, sabendo que era a única opção para administrar a pousada, porque é que não estudou antes?!?!?!?!? Daí termina com todos trabalhando em outros lugares... e Ohana volta para Tóquio.... e fica subentendido que todos, um dia, voltarão a trabalhar na pousada...... (não se depender da administração daquele otário, claro.)
Apesar de tudo, acho que foi um final bom... todos seguindo seus caminhos e tals... Penso que também ficaria bom se eles continuassem trabalhando na pousada... Enfim... Acho que esperava mais.. sei lá... Definitivamente não é uma série ruim.. mas também não é acima da média (salvo a parte da Nako e da história subentendida da avó da Ohana).................... (quando a melhor parte da série é uma história que foi mal contada, é porque existe algo errado mesmo.. rs).
Enfim... É um bom passatempo se desconsiderar os probleminhas de desenvolvimento. A ideia é muito boa, só acho que poderia tê-la desenvolvido de um jeito muito melhor ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário