15 maio 2012

Last Friends (j-drama)

Sexta feira passada terminei de assistir a essa série.
Last Friends possui 11 episódios (além de um pequeno especial) e foi transmitida originalmente em 2008.
Falar dessa série é difícil... é realmente poucas as obras que são tão absurdamente densas e tensas como essa... É incrível o leque de assuntos delicadíssimos que são abordados, contados ao público de maneira delicada, humana, crua e principalmente, angustiante.
Alguns dos assuntos tratados: Abuso infantil, transtorno de identidade sexual, incesto, violência doméstica, adultério, crianças em situação de risco, alcoolismo, divórcio, suicídio, estupro, gravidez não planejada, abandono de lar, famílias não estruturadas, amor não correspondido.
É pouco ou quer mais?
O grande trunfo da série é, a meu ver, retratar todos esses assuntos quase como uma forma de denúncia, descrevendo a aparente tranquilidade e normalidade do dia a dia e das relações humanas e, ao mesmo tempo, explorando as angústias e medos silenciosos e o que ocorre em portas fechadas.
Toda essa dinâmica é apresentada e costurada pelos laços de amizade de cinco personagens principais.
Vamos a história:
Aida Michiru (interpretada por Nagasawa Masami) é uma garota com problemas de confiança e estima, criada em um lar desfeito pela violência doméstica, acaba por abraçar a oportunidade de morar com o namorado com a esperança de se sentir finalmente amada e segura. Entretando, seu namorado, Oikawa Sousuke - igualmente fruto de um lar desfeito (interpretado por Nishikido Ryo) acaba por reproduzir a violência em Michiru, espancando-a e manipulando sua vida.
Neste tempo, Kishimoto Ruka (interpretada por Ueno Juri), que foi colega de classe de Michiru durante o colégio, entra em cena. Aos poucos é mostrado que Ruka sofre de transtorno de identidade sexual, onde ela não se reconhece no corpo feminino que tem. Ela acaba descobrindo as violências que Michiru sofre e a convence a abandonar o namorado, morando assim com ela e mais dois amigos: Takigawa Eri (interpretado por Mizukawa Asami) e posteriormente com Mizushima Takeru (interpretado por Nagayama Eita)
Aos fãs de relações homossexuais, um alerta! A série passa longe da idealização romântica que as pessoas fazem de relações homossexuais, e ainda mais de problemas com a identidade sexual. Ruka retrata o verdadeiro sofrimento e angústia que realmente é alguém não se reconhecer no corpo que tem, não tem nada de romance ou naturalidade na questão. Inclusive quando Michiru descobre os sentimentos que Ruka tem em relação a ela, fica transtornada e confusa, pois não vê possibilidade de corresponder os sentimentos, mesmo ainda nutrindo por ela o amor próprio da amizade. Então aos fãs de relações lésbicas que esperam ver duas mulheres se agarrando, podem tirar o cavalinho da chuva.. hehe.. a série retrata os sofrimentos e angústias do assunto, e não o cenário idealizado que muitas pessoas insistem em pregar.
Os personagens de Eri e de Takeru também trazem problemas complicados a tona, ambos tem seus próprios dilemas e angústias para resolver mas são peças fundamentais para o caminhar das histórias alheias.
Inclusive Takeru e Ruka protagonizaram uma das cenas mais lindas e emocionantes da série: quando ele, após Ruka confidencializar seu problema via carta, larga tudo e sai correndo até encontrá-la. Cena lindíssima e emocionante, passa perfeitamente o sofrimento e o medo de alguém que não se sente digna de aceitação, e como é libertador quando outra pessoa lhe garante que é amada, mesmo conhecendo a verdade.
No final das contas todas as crises humanas tocam na questão... a necessidade de ser aceito e amado não pelo que é, mas apesar do que se é.
Não é uma série para se assistir por divertimento ou mesmo para passar o tempo. História pesada e ao mesmo tempo envolvente, serve muito bem como forma de sensibilizar e lançar um olhar mais atento e humano para os problemas e dores tão recorrentes em nossa sociedade mas ignorados e marginalizados.

Abaixo, a abertura (excelente) com a música estilosa "Prisoner Of Love" de Utada Hikaru:



Os fãs do adorável e agradabilíssimo Nodame Cantabile que se aventurarem a assistir esse drama (e "drama" com "D" maiúsculo.. hehe) vão ter uma deliciosa surpresa ao encontrar 3 atores que atuaram em Nodame Cantabile: Mizukawa Asami, Nagayama Eita e claro, Ueno Juri. Todos os atores com atuações impecáveis, um elenco realmente excelente!
Apesar de não ser o gênero que aprecio, não há como negar a qualidade dessa série. É muito bom quando obras procuram explorar temas delicados de maneira franca, sem apologias e fantasias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário