05 janeiro 2013

Suki-tte ii na yo (anime)

Baseado no mangá de Kanae Hazuki (lançado em 2008 e aparentemente ainda em andamento), esse anime que foi lançado em outubro de 2012 me decepcionou um pouco... Não que ele seja ruim...  ele possui alguns momentos ótimos, mas definitivamente não é uma obra que me inspira vontade de assistir novamente, ou mesmo ler o mangá. 
"Suki-tte Ii na yo" recorre a uma fórmula amplamente já conhecida: garota introvertida / rejeitada / antissocial (e assemelhados) atrai a admiração e amor do garoto mais popular / desejado / lindo (e assemelhados) do colégio. 
Essa é uma fórmula usada de forma grotesca em filmes como Crepúsculo, e graciosa e bem humorada como em Kimi ni todoke. Então a fórmula em si não é ruim, é a maneira como ela é trabalhada que pode resultar em ótimos resultados, resultados mais ou menos ou aberrações.
Suki-tte ii na yo não é ótimo, mas também não é péssimo... de ritmo lento quase parando (a abertura, por exemplo, é quase um sonífero), e com dramas absurdamente irritantes (impondo a quem assiste o mesmo sofrimento mental de obras como "Bokura Ga Ita") só não merece ir direto para o lixo pois trata de forma interessante o tema bullying. 
Não que seja um tratado sobre o assunto.. mas lida de forma realista sobre o tema e principalmente os desdobramentos que isso pode ocasionar no desenvolvimento e forma como as pessoas interagem com as outras. 
De fato, apresenta vários tipos de comportamentos que alguém pode desencadear depois de períodos longos de maus tratos, tais como sentimentos de inferioridade e baixa estima (personalizados pela protagonista Mei Tachibana), sentimentos de vingança (representado por Kai Takemura), sentimentos obsessivos (exemplificado pela modelo Megumi Kitagawa)
Alias, a modelo Megumi apareceu na série sem prometer muito e acabou crescendo bastante na trama, protagonizando um dos melhores e mais realistas momentos de drama.
Então de forma geral é isso: Mei Tachibana, uma garota tímida, sem amigos (e que não acredita na amizade), que passa pela "esquisita" da turma, sem conversar muito com ninguém, um belo dia atrai o olhar do mais popular e desejado rapaz da escola: Yamato Kurosawa. A partir dai ele tenta aproximação, o que vai acontecendo aos poucos, vão se apaixonando e viram um casal. Para não ficar tão sem nexo, a autora coloca uns draminhas aqui e ali na vida dele... e no  geral é isso... Vários outros personagens vítimas de perseguição e agressões na escola aparecem, mas continuam e vão vivendo da melhor maneira que podem. 
No final de tudo é uma mensagem interessante: tem a parte bonitinha mostrando que um garoto super admirado e lindo do colégio pode se apaixonar perdidamente por uma garota extremamente tímida e deslocada (embora todos saibamos que a chance disso acontecer é de 0.0000000001% .....) e também tem uma mensagem bonitinha mostrando que vítimas de bullying podem seguir em frente e serem felizes, fazerem amigos verdadeiros e assim por diante. Também é mencionado a importância do papel dos pais na vida desses jovens.
Basicamente é um "anime incentivo" para a faixa etária que se sente deslocada e infeliz durante o colégio - que pode sim, ser um período desgraçado na vida de uma pessoa.
Será que eu estou sendo muito malvada falando essas coisas? hahahahahahahhahaha
Antes que alguém fique de "mimimimimi", eu era uma garota deslocada no colégio, sempre tive poucos amigos, pouco falante, sempre concentrada nos estudos, fazendo pouquíssimo social, com uma vida amorosa inexistente,sempre sobrava na educação física e assim por diante.
Então eu acho válido esse tipo de produção, acho que serve de motivação para pessoas que sofrem nesse período da vida... é fato que dá para passar por isso, ter boas lembranças, ser feliz e quando adulta......nas horas vagas fazer um blog e ficar escrevendo resenhas de animes. hahahahahahhaha
É isso ai... anime interessante mas mais introspectivo do que eu gostaria. Possui 12 episódios (ainda bem) e mais um décimo terceiro que funciona um pouco como "extra", trazendo as pouquíssimas cenas de humor existentes na série. 
De repente o mangá é mais instigante... quem sabe.. (eu adoro dar segundas chances para seriados....embora eu não tenha ficado com nenhuma vontade de ler.....).

4 comentários:

  1. Hel, já falei que gosto do seu jeito preciso e senso critico? Você fez observações bem legais sobre esse anime! Eu não fazia ideia que ele era assim. Concordo quando vc diz que formulas/clichês para que funcionem, tem que ser usados na maneira correta, senão podem se transformar em aberrações. Sabe amo shoujo, Kimi ni todoke está no meu top, gostei quando vc o citou como: "graciosa e bem humorada", Kimi ni todoke é assim mesmo, fofo e levemente engraçado.

    Bjos e ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jéssica, sempre ótimo receber suas visitas e seus comentários ;) que bom que gostou do post =D Sempre visito o seu blog buscando informações para os próximos títulos que assistirei.. excelente conteúdo e gosto mto do seu jeito de se expressar...
      O duro é arranjar tempo para assistir tudo o que realmente gostaríamos, né? hehehe
      Tb adoro shoujo e Kimi ni todoke tb está entre meus prediletos, simplesmente adorável ;)
      Bjão, tudo de ótimo pra vc ;)

      Excluir
  2. a fóruma dos animes romanticos... beijso e boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim Vanessa, uma fórmula ótima.. e tão fofa, né? *suspiros* ...pena que em algumas histórias desanda um pouco.. rs... bjs, excelente semana para vc tb :D

      Excluir