11 março 2017

Piano: The melody of a young girl´s heart (anime)

Anime com 10 episódios, produzidos em 2003 contando com a direção de Norihiko Sudo, escrito por Mami Watanabe e Rynosuke Kingetsu.
Primeiro devo dizer que fui enganada pela sinopse... sem dúvida quem escreveu a sinopse que li cursou marketing ou possui a capacidade de ver beleza e profundidade nas coisas mais simplórias, banais e chatas do mundo.
Eu gosto muito da temática musical, sempre que há histórias que mostram pessoas principalmente durante o processo de aprendizagem da música, me atrai bastante. Com esse interesse, apostei em Piano.
O anime possui altíssimas doses de sonífero, até para aqueles que apreciam temas do cotidiano sem grandes aventuras (que é o meu caso). 
A animação e design dos personagens é bastante datada, apesar de ser produzido em 2003, é década de 90 animada. A abertura é um caso a parte, provavelmente a mais chata de todos os tempos, produzida certamente num momento de colapso mental e falta de criatividade dos autores... algo como aquele momento em que você precisa entregar qualquer coisa porque o prazo já passou e num ato de puro desespero você recorta várias partes aleatórias de coisas já feitas, coloca uma melodia de fundo qualquer e entrega como abertura. 
Mas vamos a história propriamente dita.... Piano mostra dias absolutamente comuns com acontecimentos mais comuns ainda de Mia, uma menina de 14 anos... contrariando o que sugere o título, o tema piano por aproximadamente 2/3 da obra se enquadra no fato da personagem principal frequentar aulas de piano uma vez por semana.. na verdade nada que justifique colocar isso como título. Acariciar o gato é uma coisa mais frequente do que ela sentar e estudar piano.. seguindo a lógica, o título poderia ser "A menina acariciadora de gato".. Alias, ela é uma estudante veterana de piano... está naquele momento em que não há paixão nenhuma pela música e só continua a frequentar as aulas para seguir sua rotina de atividade extra curricular. Alias, por quase todos os momentos Mia se mostra beirando a apatia e depressão em suas atividades.
As aulas de piano são absolutamente ridículas, consiste em entrar numa sala, tocar uma música e o professor não ensinar absolutamente NADA. É sério, ele só fica olhando pela janela pagando de phodão, mas é aquele típico personagem cara de cu. Completamente inexpressivo como professor, e até mesmo como personagem, não acrescenta nada a história, a única palavra de incentivo mais veemente que teve com Mia foi um "Não pare com o piano", francamente conseguimos conselhos mais impactantes em biscoitinhos da sorte. 
Na parte final do anime o tema piano é mais justificável, quando ela pressionada pelo professor, irá participar de um recital da escola. Acontece que ela acaba tendo uma espécie de bloqueio para compor uma música para apresentar, desencadeado por uma paixonite que ela desenvolve na escola. 
Tudo isso é retratado de maneira bem lenta... quase angustiante. 
Talvez o aspecto mais interessante do anime seja a dinâmica familiar de Mia. Poucos animes retratam o dia a dia de uma família dessa forma, com atividades extremamente comuns e cotidianas... com probleminhas bobos do dia a dia, dos pais, etc. Sabe aquelas piadas que fazemos "nossa, esse personagem não tem tempo nem de fazer um lanche".. Em Piano você verá personagens fazendo lanches, simplesmente porque estão com fome, não porque o lanche está envenenado ou coisa do gênero. hehehe... Tudo gira em torno da rotina.
Mia possui uma irmã mais velha e trabalha como guia turístico viajando pelo mundo. É retratada passando uns dias de folga com a família, um aspecto interessante também, um adulto que tá meio de saco cheio da vida e quer um pouco de descanso para repensar suas escolhas. Mas também isso é um breve momento do anime, algo "resolvido" em um episódio somente.
Mia também possui uma melhor amiga, obviamente com personalidade e ânimo opostos ao seu, dá um toque de dinamismo mas nada que seja muito revolucionário ou que destoe da proposta de apresentar uma rotina diária sem grandes alardes.
Lá pela reta final do anime, Mia sofre um rebosteio mental como todo pré adolescente, quando as características já previamente depressivas delas elevam-se até a décima potência, e ela decide parar de estudar piano e afins. Isso se resolve e volta atras, obviamente. A série termina como uma dor de barriga frustrada, quando você corre desesperado para o banheiro e no final, era só um peido. Bem quando aquela guria finalmente sobe no palco e vai começar a tocar a música no recital, termina a série. Mas também, o que eu estava esperando né.
Eu gosto muito de séries que relatam dias comuns, atividades comuns, etc.. mas essa parece que eu simplesmente perdi meu tempo. Talvez o clima dramático tenha me causado uma certa depressão. Ver a Mia sempre andando de cabeça baixa sem evoluir quase nada, parece que minha energia foi igualmente drenada.......

Nenhum comentário:

Postar um comentário